Publicado em

windows_phone_7_android_htc_hd2

Recentemente, apresentei aqui meu novo blog sobre Windows Phone e também desenvolvi um texto que fala de Android e de sistemas móveis em geral tratando do nível de satisfação dos usuários. A verdade é que as experiências com o Windows Phone têm feito muita gente me procurar com a pergunta: vale a pena largar o Android e abraçar a nova plataforma da Microsoft? É justamente disso que pretendo tratar aqui.

Uma declaração interessante, vinda recentemente do “boa praça” Steve Wozniak, serviu de “estalo” para esse texto. Woz, assim como eu, ao ser perguntado sobre qual a melhor plataforma móvel, costuma responder: depende de quem usará. Foi nesse espírito que ele deu a resposta a seguir, numa entrevista ao The Daily Beast, causando surpresa em alguns, mas não em quem conhece seu estilo.

Meu smartphone principal é um iPhone. Gosto da beleza do design, mas eu realmente gostaria que ele fosse capaz de fazer todas as coisas que meu Android faz. (…) O iPhone é menos assustador para aquelas pessoas que se amedrontam com complexidade, bem, aqui está um aparelho fácil de usar e que faz o que você precisa que ele faça.

wozniak androidÉ claro que quase todos os sites de notícias, especializados ou não em tecnologia, trataram de infantilizar a declaração do Woz, inserindo-a aquele besteirol de Android é melhor que iPhone. Dou meus parabéns ao Ghedin, que comentou com uma chamada mais amadurecida no Gemind. Bom, usando as palavras do amigo Ghedin, podemos dizer que eu gosto do Android, mas “tenho uma quedinha pelo Windows Phone”.

Apesar de usar dois smartphones de plataformas diferentes no dia-a-dia, minha experiência é muito distinta da do Woz. Nunca consegui passar mais que poucos minutos mexendo num iPhone antes de encostá-lo como um brinquedo sem graça. Mantenho o Android como minha plataforma principal e possuo um Windows Phone para realizar minhas experiências, o que tenho curtido bastante.

Meu passeio pelas opções em sistemas móveis não começou recentemente, e sim no tempo em que o dilema não se dava entre as atuais plataformas da Google, da Apple ou da “estreante” Microsoft. Comecei a me interessar e a usar bastante essas coisas desde a época em que escolhi o Palm em detrimento dos Pocket PCs e usava um celular conectado via infravermelho para servir internet para o PDA. Vi essa coisa de “mobile” nascer e se desenvolver e portanto não me impressiono com facilidade quando alguns dizem que inventaram o que já estava aí há uma década.

Trazendo tudo isso para o cenário atual, sempre preferi dizer que os sistemas se adequam melhor ou pior a cada perfil de usuário. Assim como o Woz, acho que o Android é um sistema ingrato para quem o considera muito complexo. Ao contrário do que ele diria, aposto no Windows Phone como uma alternativa mais interessante do que o iPhone para quem pretende, efetivamente, deixar o Android, e esse é o ponto em que esse texto pretende chegar.

Chegou a sua hora de largar o Android por um Windows Phone?

Calma, amigo. Isso não é divórcio, não é sequer um fim de namoro e nem envolve movimentação de muita grana. Querendo voltar, seus apps continuam seus e o prejuízo nem é tão grande. Vende um, pega outro e estamos conversados. Como uma experiência desse tipo, se for mal-sucedida, leva embora algum tempo e até um bocado da sua paciência, vamos analisar se a troca faz sentido para você.

Comecemos pelo questionamento proposto pelo Woz. O Android é muito complexo para você? Como você se desloca no uso do sistema? Consegue configurá-lo ao seu gosto, organizar suas home screens com atalhos e widgets que tornam a sua vida realmente mais prática? Ou não sabe nem pra onde vão essas coisas e, quando muito, puxa um atalho de app que fica jogado fora de contexto num canto qualquer da tela? Você usa o teclado padrão para digitar ou vai ao Android Market e opta por um melhor?

Vamos adiante. Até que ponto você percebe a “liberdade” da qual falam os defensores do Android? Você gosta de estar desobrigado do uso de um software de sincronização como o iTunes ou o Zune? Para falar apenas no mais básico: você gosta da possibilidade de montar o armazenamento do smartphone como se ele fosse um pendrive e jogar pra dentro os arquivos que bem entender para usá-los com seus apps, sejam músicas, vídeos ou arquivos de texto, não importando que formatos eles tenham, precisando apenas de um app compatível com eles?

Esses questionamentos são todos importantes. Uso atualmente meu Galaxy S II com uma ROM stock, mas a maneira como organizo as home screens com a Touchwiz já fez gente que tem o mesmo smartphone perguntar se uso algum outro launcher ou até custom ROM. Nada disso, apenas peguei o sistema stock e moldei bem ao meu uso, levando em conta organização, praticidade e até apresentação estética.

Quanto à liberdade, à desnecessidade de um software de sincronização, isso eu também valorizo demais. Odeio o Kies, o programa de sincronização da Samsung. Sou muito grato pelo fato de poder usar o Android sem nunca mexer nele, porque o sistema operacional me dá essa opção. Ele é “livre” e a maneira de utilizá-lo é escolha sua. Odeio também o iTunes e, embora o Zune não seja um pesadelo, preferiria poder usar meu Windows Phone sem nunca mexer com ele.

Se você usa um Android da Samsung e recorre com frequência ao Kies, por exemplo, a avaliação da sua intimidade com o sistema operacional e do quanto você usufrui da sua aclamada “liberdade” é totalmente negativa, sinto informar. O Kies pede para ser abandonado, ele grita por isso. Qualquer um que continue usando aquele software é porque está com o Android, mas ainda não pegou o “espírito da coisa”.

Duas coisas são centrais nos uso do Android. A sincronização com os serviços em nuvem da Google dá conta de toda essa parte de contatos, e-mail, serviços de notícias e armazenamento ou edição de documentos, além da prática e rápida instalação de apps via Android Market, seja com o aplicativo, seja pela interface web.

O abastecimento do sistema com música e vídeo pode ser feito ao gosto do usuário, com alguns apps possibilitando sync, ao estilo do iTunes ou do Zune, e outros permitindo que se jogue para a memória interna os arquivos da forma que melhor aprouver. Eu prefiro assim e, no caso do Galaxy S II, gosto da possibilidade de poder jogar para dentro até mesmo um arquivo MKV com vídeo 1080p e rodá-lo sem qualquer conversão de formato ou de container.

Para pessoas que usam o Android como se estivessem usando um iPhone, sem lançar mão da possibilidade de moldar o sistema ao seu gosto e sem, sequer, livrar-se da necessidade de um software de sincronização, é muito provável que a experiência com outra plataforma seja positiva. Nesse caso, uma boa leitura sobre o Windows Phone, e até mesmo alguma experiência pessoal com o sistema, é recomendável. Sem desconsiderar o iPhone, que de repente pode ser mais do seu agrado ainda.

Nesse sentido, recomendo bastante um “test drive” no Windows Phone, que surge com uma proposta interessante para usuários que não se encontraram com a lógica de uso muito “solta” do Android, mas também não vão com a cara do estilo “travado” do iPhone. O trunfo, nesse sentido, consiste na Metro UI, que já vem “de fábrica” bem arrumada, mas permite alguma maleabilidade. Quanto à sincronização, nesse caso o sistema é, de certa forma, tão dependente do Zune quanto o iPhone é do iTunes.

Antes de saltar de vez e abraçar o Windows Phone, é preciso ter em mente que a limitada oferta de apps ainda é um ponto negativo a ser considerado na plataforma. Você que tem muitos apps no Android, conhece os melhores e mais famosos aplicativos gratuitos disponíveis no Android Market, poderá se sentir um pouco frustrado no MarketPlace. A carência de aplicativos ainda existe e, por lá, praticamente tudo o que é bom custa alguma grana.

Agora vamos a um caso distinto: o do cara que se dá muito bem com o Android, mas está insatisfeito com seu smartphone atual. Amigo, a saída pro seu caso é óbvia: trocar o seu Android por um melhor. Confesso que quando larguei o Galaxy S pelo seu sucessor, minha situação era justamente essa. Conforme descrevi detalhadamente no review do Galaxy S II, embora o SGS pareça um modelo ainda muito bom, pro meu perfil de “heavy user” ele se tornou limitante.

É comum que os usuários mais avançados, que fazem um uso mais “hardcore” dessas soluções, passado algum tempo, tendam a se sentirem frustrados em sua experiência com um determinado dispositivo. É justamente esse usuário que tem a maior chance de se arrepender caso opte por mudar de plataforma. Nesse caso, não foi o Android que se tornou desinteressante para você, foi o seu equipamento atual. Não é por estar ansioso pelo Ice Cream Sandwich e não tê-lo ainda que você ficará satisfeito com o Windows Phone. São coisas absolutamente distintas.

Talvez esses últimos parágrafos sejam os mais importantes do texto, pois é grande o número de usuários de Android que me procuram perguntando sobre o Windows Phone, mas que parecem estar apenas “entediados” com os equipamentos e versões do sistema usados atualmente. Minha dica é, pare de vacilar pegue um Galaxy Nexus, que vem aí batizado de Galaxy X ou faça como eu e o Woz, mantenha o contato com duas plataformas para poder falar bem ou mal de cada uma, conforme a ocasião.

Categorias: Opinião / Tags , , , .

22 respostas a O que levar em conta antes de migrar para outra plataforma

  1. Ótimo texto!!

    Mas a pulga que dorme atrás da minha orelha pensa que um windows phone irá "durar" mais que um android, como vc disse no texto e que reflete bem a minha posição como dono de um Galaxy S1 (pra piorar é um i9000b), se eu trocasse para um Galaxy SII ou um Nexus meus problemas acabariam!! Mas, no caso do SII, bastaria a Samsung lançar o SIII e o "android 5" ser lançado e só ser atualizado neste último para eu voltar a estaca zero!

    Eu decidi que meu próximo celular será: ou um google phone que não tenha customizações de fabricante, ou um windows phone…

    • O novo Nexus tá tentador demais, até porque ele chegou dando um salto adiante em matéria de hardware, sendo superior ao Galaxy S II, o que o Nexus S não fez, sendo praticamente uma réplica do Galaxy S.

      • Lucas Herrera disse:

        Será que realmente foi um salto grande em relação ao Galaxy S2? A GPU dele é melhor que a do Galaxy S2.
        Já saíram os resultados dos benchmarks pra compararmos?
        Eu fiquei um pouco decepcionado quando vi as configurações do Galaxy Nexus, esperava um pouco mais. Imagino que ele será destruído pelo S3 que deve sair no final de fevereiro.

        • Chico Silva disse:

          Já saíram alguns e eu mesmo tive oportunidade de fazer testes com ambos. Resultado: decepcionante. Em alguns casos o s2 chega e ser superior que o Nexus.

        • No caso do Android, uma GPU melhor já pode ter um senhor impacto no comportamento do sistema como um todo, tendo em vista que muita coisa se favorece da aceleração pela GPU.
          Mas tem uma coisa estranha nosso tudo, mesmo. Olha a Anandtech:
          http://www.anandtech.com/show/5310/samsung-galaxy

          Pra quem tá comprando agora, não sei. Pra quem já possui um Galaxy S II não vejo razão para o Galexy Nexus ser algo assim tão tentador. A tela é melhor… mas também é maior. E eu já tô procurando um freio nessa coisa de esticarem as telas tem um tempo.

          • Lucas Herrera disse:

            Na verdade era pra ser uma pergunta. Eu não sei se a Gpu do Galaxy Nexus é melhor que a do S2. Pelos testes eu sempre vi que o desempenho do Galaxy S2 era o melhor dos Androids, lógico que a resolução de tela do S2 é menor e isso faz diferença.
            Quero ver mesmo como vai ser na hora da chegada da S3, deve estabelecer um patamar novo de comparação.

  2. Renato Bessa disse:

    Em resumo… usuários avançados devem permanecer com Android, usuários medianos devem migrar para Windows Phone e aqueles mais preguiçosos que não personalizam nada devem usar Iphones… pode-se colocar dessa maneira?

  3. Cristiano disse:

    Muito bom o texto!

  4. Nicholas disse:

    Apesar de gostar muito do Android, o descaso de fabricantes e operadoras me deixou frustrado com o sistema. Esse é o motivo que me leva a querer experimentar o Windows Phone.

  5. lcsilveira disse:

    Seu texto me convenceu de que eu preciso é do ICS… Eu gostaria de manter as duas plataformas, mas é complicado por questões financeiras.

    Tenho um Milestone 2 e não tenho esperanças de um ICS Oficial da Motorola, mas o pessoal do XDA parece ter evoluído bastante com o CM9 e espero que em breve saia alguma versão estável para o meu aparelho.

  6. Diego disse:

    Ultimamente me sinto tentado a experimentar o Windows Phone, mas minha situação se resume muito bem no penúltimo paragrafo, não é o sistema em si que me decepciona, mas sim a política de atualização de fabricantes/operadoras. Hoje tenho um LG Optimus Black, enquanto já existe algumas rom's vazadas do ICS a LG ainda está enrolando pra liberar atualização para o Gingerbread, enquanto isso não acontece o jeito é recorrer ao XDA e a Cyanogen. Por isso minha próxima compra será um Galaxy Nexus pelos motivos óbvios.

  7. Michel disse:

    Parece que numa coisa todo mundo concorda… Ou o Android fica puro (sem customizações e softwares próprios das fabricantes, tipo o Motoblur, que é horrível) ou cada vez mais as pessoas migrarão para outros sistemas!! Atualizações também são importantes… eu tenho uma Galaxy S1 e estou puto por não poder ter o Ice Cream Sandwich…

  8. Gabriel disse:

    "É claro que quase todos os sites de notícias, especializados ou não em tecnologia, trataram de infantilizar a declaração do Woz, inserindo-a aquele besteirol de Android é melhor que iPhone."

    HAHAHAHA Às vezes eu acho que você escreve uns trechos pensando em determinados blogs que eu também leio e que sempre procuram fazer guerrinhas "disfarçadas"… Logo depois tentam "assoprar a ferida cutucada" nos comentários culpando os leitores pelas besteiras que escrevem (acredito que escrevem principalmente pela "polêmica", que se reverte em page views e comentários no blog).

    Enfim, pensei em migrar para o WP7 ou comprar um Galaxy Nexus (ou X, como será chamado aqui), ou até mesmo um Nexus S importado, que possui a atualização para o ICS garantida, mas ainda não sei bem o que me agradaria mais. Gosto muito do Android e não queria sair dele, mas a falta de um slot para cartão de memória me desanima ao pensar em adquirir um Nexus (e esse também foi o motivo principal ao não adquirir um iPhone). Os aparelhos da Nokia com WP7 também não possuem cartão de memória, mas já existem alguns smartphones com WP7 com slot para cartão (ouvi dizer de uns modelos da Samsung), mas ouvi dizer também que os modelos da Samsung com WP7 não se comparam aos Nokia, então eu gostaria de perguntar a você o motivo (além da resistência de um aparelho Nokia, que dispensa apresentação, embora os designs da Nokia me desagradem bastante). Cartão de memória para mim é fundamental porque odeio ficar preso à limitação do aparelho, e também não gostaria de me ver obrigado a pagar uns R$ 600,00 a mais num aparelho por 8 GB a mais de armazenamento interno, como no caso de um iPhone, por exemplo.

    Resumindo, minha situação é essa:

    - Adoro o Android, mas as fabricantes/operadoras cagam no aparelho com suas customizações e com a falta de atualizações (tendo de recorrer a custom ROMs que nem sempre são estáveis, exceto os aparelhos oficialmente suportados pela MIUI e CyanogenMod, que são poucos em relação ao número de aparelhos no mercado);
    - Considerando o ponto acima, temos os Nexus, com Android puro e sem firulas, mas que não possuem cartão de memória;
    - Não gosto muito do iOS, mas até iria de iPhone se ao menos tivesse um bendito slot para cartão de memória, ou seja, é um caso perdido, não tenho como considera-lo de jeito nenhum;
    - O WP7, para mim, ainda é um grande ponto de interrogação. Afinal, qual a diferença entre um Nokia com WP7 e um Samsung ou HTC com WP7? Tanto barulho pela espera de um aparelho da Nokia com WP7 realmente fez sentido ou não? Todos receberão o Tango ou só a privilegiada Nokia e/ou hardwares específicos? E eu ainda acho os aparelhos da Nokia bem feios, mas até pensaria em comprar um se compensasse (e tivesse um slot para cartão de memória).
    - Também cabe perguntar: será o WP7 o "navegador Opera dos sistemas móveis" (bonito, funcional, cheio de recursos, mas que ninguém desenvolve nada para ele porque ninguém usa)? Seria "early adopter" comprar um WP7 agora, visto que nem processadores dual core aceitam atualmente e que está virando "padrão" da indústria? E quando o WP suportar processadores dual core, será que os single core perderão porque não rodarão determinados aplicativos? 512 MB de RAM realmente dá pra rodar algo desenvolvido pela Microsoft hoje e amanhã, já que a Microsoft adora "pesar" seus produtos em tempos? Em se tratando de Microsoft, confesso que tenho um pé atrás por preconceito.

    Por motivos óbvios, não vou considerar aqui o Symbian, o BlackBerry OS e o Bada, seja lá o que o Bada for. Talvez esteja exigente demais, ou talvez ainda não tenham lançado o smartphone perfeito para mim (Android puro, com atualizações garantidas, com um bendito slot para cartão de memória e vendido no Brasil, de preferência). Ou talvez o meu smartphone perfeito seja o Samsung com WP7 e slot para cartão de memória que tanto falam mal.

    • Eu não gosto de usar cartão de memória em celular. Tem um motivo pros melhores modelos não terem esse slot. Mais cedo ou mais tarde a porcaria do cartão começa a arruinar o funcionamento do sistema inteiro. Não é a toa que iPhone não tem slot, os WP7 da Nokia não têm slot e os Nexus também não tem slot. De um modo geral, usar micro sd num smartphone tende a ameaçar o bom funcionamento do sistema, e isso os caras não desejam nos modelos que precisam ser referência em suas respectivas plataformas.
      O Galaxy S II tem o slot, mas eu deixo vazio.

      • Gabriel disse:

        Sério? Eu li o seu artigo, mas particularmente não notei diferença alguma na rapidez do aparelho com ou sem cartão de memória, por isso não sinto tanta diferença assim (e prefira aparelhos com slot para cartão de memória).
        Sobre o iPhone não ter slot, sempre especulei que era para conseguir vender modelos de maior capacidade e mais caros, mas faz sentido ao analisar também os Nexus e os Nokias/WP7 sem slot para cartão de memória.
        Vou rever se me passei ou se realmente não sinto diferença com ou sem cartão de memória.
        Abraço!

        • Não é algo assim "Colocou o cartão, haverá perda de desempenho". O que notei é que os cartões da San Disk que usei até agora tenderam a apresentar problemas cedo e levar junto o bom funcionamento do sistema.

          • Gabriel disse:

            Hum, entendi. De qualquer forma, utilizo um Kingston classe 4 (e pretendo trocar para outro cartão classe 10 em breve) e ainda não senti nenhum efeito negativo no sistema.

  9. Realmente, depois de tudo que li, vi que fiz a melhor escolha em ter trocado meu nokia podre (que eu gostava mto na época) por um Galaxy 5.
    O Android me permitiu muita coisa nele, mas é o que vc disse… Estou começando a cansar!! rs
    Pena eu ainda não poder comprar um Galaxy SII… =/
    Espero que quando chegar o Galaxy X, eu esteja em melhor situação… vou surtar se não puder comprar! haushas

  10. Marcel_16V disse:

    Grande Ticiano,
    estou novamente com dois aparelhos de tecnologias diferentes.
    Meu aparelho principal hoje é um SGSII que a cada aparelho que eu testo ele se mostra mais competente ainda e agora, peguei o Omnia W com Windows Phone 7.5. Já tive ao mesmo tempo iOS com Android, Android 2.2 contra Android 2.3, Symbian com Android e agora, vendi o aparelho 2 e peguei esse WP no lugar.
    Você pode até cansar do Android, já que as coisas não mudam muito (culpa principalmente da desgraça do TouchWiz no caso dos Samsung e do Motoblur no caso da Motorola), mas quando você tenta usar os outros S.O.'s no dia a dia, depois de ter usado um Android GingerBread para frente, você começa a ver como o Android está maduro e bem desenvolvido. Coisas simples no Android ainda não foram desenvolvidas nos outros S.O.'s.
    Eu compro sistemas diferentes para poder confrontá-los e, até o presente momento, não acredito que exista um S.O. de smartphone tão smart quanto o Android. Realmente a carinha vai cansando, como é normal em todos os aparelhos, conselho que eu dou, é usar um AdwLauncher e ficar trocando de tema para dar uma renovada.
    O multi-tarefa limitado do iOS e do WP7 são seus cocanhares de aquiles perto do Android.
    Acredito que devem mudar isso no futuro, mas por enquanto, não recomendo a troca do Android pelo WP7.

  11. Rafael Rocha disse:

    Ticiano, ótimo texto.

    Sinceramente não consegui me decidir ainda. Quando comprei o SGS fiquei maravilhado com o Android e suas possibilidades, no entanto, nunca tive um Iphone para comparar. Na época gostava de provocar um amigo que tinha um Iphone 3GS e adorava desdenhar do Adroid, criticando sua fragmentação, pouca fluidez e instabilidade. No início não queria ver isso e simplesmente adorava a abertura do Android que não me limitava como um Iphone. Bluetooth? achava um absurdo isso não ser livre. Mas hoje, pouco mais de um ano com o aparelho já começo a me irritar com o SGS ou com o Android, não decidi ainda e explico.

    Me considero avançado, já fiz diversas customizações, mudei várias vezes de ROM, “briquei” e ressucitei o meu SGS mais de 5 vezes. Já perdi muito tempo tentando fazer a porcaria do GPS dele funcionar e sempre achei que uma nova ROM resolveria tudo. Ao atualizar para a nova ROM “muiiiito” melhor como diziam nas comunidades, o que parecia ser mais rápido no início, depois acabava ficando lento e dando erros irritantes da mesma forma.

    A minha última tentativa foi uma ROM versão 2.3.6 base JVU que até agora, embora pareça estar mais fluída, ainda tem vários erros e lags como todas as outras que testei (além de sugar uma bateria absurda). A minha irritação maior veio outro dia que precisei de um simples lock no meu gps para descobrir um endereço e a porcaria do GPS do Galaxy além de não funcionar, apresentava uma lentidão na hora que me levou ao extremo de socar ele no banco do carro e dizer para a minha esposa, “Vou comprar um Iphone!”.

    Veja bem, continuo achando o Android fantástico e sinceramente fiquei tentado a experimentar o Iphone, embora sempre após a minha ira com o “SGS/Android ” eu fique com medo de gastar tanto dinheiro no Iphone e me arrepender depois. Ao mesmo tempo me pergunto, será que o SGS 3 seria a solução com o seu ICS 4.0, 5.0 sei lá o que virá?

    Gosto de customizar, detesto me imaginar refém do Itunes e dos Jailbreaks mas pombas, quero estabilidade e fluidez!

    Testo um Iphone e acabo com essa dúvida? se não funcionar dou para a esposa rs

    Ou aguardo um SGS 3 ou Xperia S?

    Abraços.

  12. Rafael Rocha disse:

    Ticiano, ótimo texto.

    Sinceramente não consegui me decidir ainda. Quando comprei o SGS fiquei maravilhado com o Android e suas possibilidades, no entanto, nunca tive um Iphone para comparar. Na época gostava de provocar um amigo que tinha um Iphone 3GS e adorava desdenhar do Adroid, criticando sua fragmentação, pouca fluidez e instabilidade. No início não queria ver isso e simplesmente adorava a abertura do Android que não me limitava como um Iphone. Bluetooth? achava um absurdo isso não ser livre. Mas hoje, pouco mais de um ano com o aparelho já começo a me irritar com o SGS ou com o Android, não decidi ainda e explico.

    Me considero avançado, já fiz diversas customizações, mudei várias vezes de ROM, "briquei" e ressucitei o meu SGS mais de 5 vezes. Já perdi muito tempo tentando fazer a porcaria do GPS dele funcionar e sempre achei que uma nova ROM resolveria tudo. Ao atualizar para a nova ROM "muiiiito" melhor como diziam nas comunidades, o que parecia ser mais rápido no início, depois acabava ficando lento e dando erros irritantes da mesma forma.

    A minha última tentativa foi uma ROM versão 2.3.6 base JVU que até agora, embora pareça estar mais fluída, ainda tem vários erros e lags como todas as outras que testei (além de sugar uma bateria absurda). A minha irritação maior veio outro dia que precisei de um simples lock no meu gps para descobrir um endereço e a porcaria do GPS do Galaxy além de não funcionar, apresentava uma lentidão na hora que me levou ao extremo de socar ele no banco do carro e dizer para a minha esposa, "Vou comprar um Iphone!".

    Veja bem, continuo achando o Android fantástico e sinceramente fiquei tentado a experimentar o Iphone, embora sempre após a minha ira com o "SGS/Android " eu fique com medo de gastar tanto dinheiro no Iphone e me arrepender depois. Ao mesmo tempo me pergunto, será que o SGS 3 seria a solução com o seu ICS 4.0, 5.0 sei lá o que virá?

    Gosto de customizar, detesto me imaginar refém do Itunes e dos Jailbreaks mas pombas, quero estabilidade e fluidez!

    Testo um Iphone e acabo com essa dúvida? se não funcionar dou para a esposa rs

    Ou aguardo um SGS 3 ou Xperia S?

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>