ICQzação do MSN Messenger

 

instant-messengers

 

Não, isso não é um título para dar ensejo àquele corriqueiro argumento elitista iniciado por “orkutização disso, orkutização daquilo” denotando o crescimento da participação de gente de menor poder aquisitivo numa determinada rede. O que estou percebendo, e não precisa ser “visionário do silício” para notar, é que a rede do MSN Messenger começa a se apresentar desinteressante a boa parte dos usuários. A plataforma de mensagens instantâneas da Microsoft pode estar prestes a sofrer o mesmo esvaziamento sumário que atingiu o ICQ.

O que aconteceu com o ICQ que, pelo menos no Brasil, foi trocado pelo MSN Messenger, foi repentino, sumário mesmo. No momento em que o MSN Messenger caiu no gosto dos usuários menos íntimos de assuntos tecnológicos, a base de usuários do ICQ, mais veterana da internet, migrou em massa para a plataforma da Microsoft, onde poderia se comunicar também com os menos antenados. Naquele caso não tinha ninguém reclamando “maldita inclusão digital”. Se duvidar tinha até xiita de Linux fascinado com a nova possibilidade de enviar um emoticon de florzinha pra aquela garota que não sabia sequer o que é um terminal de comando.

E o MSN está sendo trocado por uma nova rede de mensagens instantâneas? Não! Acontece que, se você olhar agora mesmo para a tela do seu computador e para o smartphone encostado aí ao lado, existem hoje tantas alternativas para você interagir de maneira ágil com outras pessoas, através de mensagens que serão entregues de forma imediata, que essa multiplicidade de meios acabou por tornar obsoleta uma plataforma que tem por função centralizar a troca de mensagens instantâneas. Enquanto você navega pelo Facebook, o sistema oferece a possibilidade de troca de mensagens, o GMail carrega internamente uma interface para o Google Talk, o smartphone pode ter apps que cumprem muito bem a finalidade de trocar mensagens instantâneas de forma bastante eficiente, como o Whats App ou até mesmo o serviço de SMS.

Ademais, o smartphone cumpre o papel de notificar, de forma imediata, onde quer que você esteja, a chegada de  uma mensagem por qualquer desses meios. Se alguém tentar fazer contato, você saberá através de um som de notificação e de um aviso na tela, não importando se a mensagem vem via e-mail, pelo Facebook, através de uma DM no Twitter ou, no caso do Android, através do GTalk que tende a ficar sempre online no aparelho. Quem precisa do MSN Messenger num cenário como esse? Quer dizer, aquele nerd de outrora migrou pro MSN para deixar a timidez de lado e trocar emoticons xavecadores com garotas, não precisa mais dele para nada.

A isso se soma o fato de o Hotmail ser uma plataforma pouquíssimo atrativa de e-mail. A maior parte dos usuários do MSN mantém uma conta no Hotmail tão somente para deixá-la atrelada ao serviço de mensagens, tendo em vista que o Messenger não funciona com um UIN. Isso faz com que o serviço de mensagens da Microsoft se torne muito passível de sofrer um massivo esvaziamento. Até porque, quem usa GMail já tem por lá o GTalk.

Se a Microsoft precisa do MSN como uma peça chave do ecossistema que ela tenta criar com a Live para melhor integrar suas soluções e usar tal integração como trunfo para fortalecer seu Windows Phone 7, talvez seja o momento de se mexer para criar atrativos que sirvam, pelo menos, como tentativa para segurar a base de usuários.

Pages:
  1. Sinceramente não acho que seja o caso de o MSN estar perdendo espaço por causa de smartphones e similares. O que estou vendo acontecer, que também foi um dos fatores chave na extinção do ICQ, foi eles tentarem MUITO forte para deixar a experiência de uso um lixo. Na época do ICQ, um download de 5mb era algo injustificável se levar em consideração que a maioria das pessoas acessavam a internet com conexão discada. Depois também começaram as propagandas abusivas, e depois atualização a cada semana, depois vários problemas de compatibilidade com o Windows, e a lista continua e continua. Hoje o MSN está parecendo uma penteadeira de p*; eles não sabem mais o que colocar nele para ficar mais distante do propósito original — o de conversar com outras pessoas. Como cereja do bolo, não param de haver problemas na rede deles — seja impossibilidade de adicionar novos contatos ou de cair toda hora.

    Em outras palavras, existem sim outras opções pro MSN, mas na minha opinião o fator predominante é o descaso com os usuários. Seja por qualidade, seja por praticidade (embora existam alguns clientes de MSN fora do windows, está longe de ter difusão como Skype, GTalk, Facebook Chat etc.)

  2. É muito escondida, mas existe a opção de usar um outro e-mai como Windows Live ID.
  3. Bruno Dias
    Já faz um tempo que não uso mais o aplicativo msn, mesmo quando estou no PC/notebook. Substituí por “multi-messegers” online, com imo.im ou im+
  4. O ICQ tinha um file transfer manager que tah hoje o MSN nao tem. Pelo ICQ era possivel transferir entre ususarios centenas de arquivos com somente um rapido drag-n-drop. O mais legal eh que se a conexao de um dos dois caisse durante a transferencia ainda era possivel dar um “resume” e o ICQ continuava de onde havia parado. Uma beleza.
  5. jbineli
    Pera, este texto é do ano passado?!

Leave a Comment


NOTE - You can use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

More in Opinião (1 of 6 articles)