Publicado em

O ECAD entrou na pauta das redes sociais hoje devido à cobrança direcionada ao blog Caligraffiti, através da qual a entidade pretende descolar sua velha “pontinha” para cada vídeo do Youtube ebedado nas postagens.  O problema atinge os vídeos que contenham reprodução musical e, para mantê-los, o blog precisaria pagar uma taxa mensal à instituição. 

O Caligraffiti é um blog de design com ótimo conteúdo que nem sequer exibe publicidade em seu layout. O projeto é bancado pelos próprios colaboradores. Se a ameaça do ECAD for levada adiante, terão de adicionar mais R$ 352,59 aos custos mensais do site.

Em conversa sobre o assunto, soube de amigos que trabalham na web que notificações referentes a postagens em fan pages do Facebook também já foram feitas.

Os problemas principais do ECAD são a prática não rara de cobranças absurdas, claramente abusivas, que se somam à falta de transparência quanto à destinação dos valores arrecadados.

A instituição tem tentáculos onde você puder imaginar. Desde o mais decadente boteco de quinta, onde um tio toca um violão faltando cordas na apresentação de “música ao vivo”, até aqui na blogosfera, o ECAD aparece pra cobrar sua pontinha. Se você estiver andando na rua e começar a assobiar alguma música, cuidado. Os caras do ECAD podem estar de olho em você e eles vão querer uma grana.

Estou exagerando? Que tal o exemplo da festa de casamento onde cobraram dos noivos um pagamento sobre as músicas que foram tocadas no baile? Serve de exemplo pra ilustrar o quanto a postura dessa entidade tende, constantemente, à prática de abusos. A falta de transparência é questão denunciada inclusive por músicos profissionais com muitos anos de estrada.

Quem já viu o ECAD atuando, viu aquele rapaz com uma caderneta, numa casa noturna, anotando o que está sendo tocado durante a noite inteira. É interessante notar que, num local destinado a música pop, são executadas obras de artistas, tanto vivos quanto mortos, de todas as partes do mundo.

Agora imaginemos a logística para distribuir, no mundo inteiro, quando não aos próprios autores, aos seus herdeiros, o apurado da caderneta do rapaz que anda de bar em bar anotando tudo. Nesse caso, se arrecadar já dá trabalho, distribuir dá mais ainda. Será que eles trabalham a distribuição com o mesmo afinco com que arrecadam? E quem é que fiscaliza?

De uma maneira ou de outra, as mídias digitais estão desenvolvendo suas próprias ferramentas e padrões para gerenciamento de direitos autorais. Elas ainda não estão prontas e muita coisa ainda precisa ser pensada e melhorada. Podemos estar certos, no entanto, de que a entrada em cena de um dinossauro como o ECAD nas novas mídias não é resposta para essas questões.

Categorias: Opinião / Tags , , .

8 respostas a O ECAD quer uma grana também da blogosfera

  1. graubi disse:

    Isso não vai durar muito tempo, eu espero

  2. mica disse:

    Adorei o texto! Também não fiquei quieta!

  3. Isso é bobagem, por dois simples motivos.
    1º O ECAD não tem força de lei, eles não podem simplesmente impor uma nova cobrança dessa forma. Nem mesmo o congresso pode fazer isso sem votação e consulta publica.
    2º O ECAD pode cobrar por reprodução dos vídeos e não é isso que o blog faz. Através do embeded do youtube os blogs simplesmente disponibilizam o vídeo, quem reproduz é o youtube. É como cobrar por sugerir uma música.

    Basta que a blogsfera se manifeste judicialmente. A internet está a nossa favor, afinal, a regra do ECAD é de 1998, bem antes do youtube e outros serviços.

  4. Rafael Rocha disse:

    O nosso país não é sério!

  5. Scheldon disse:

    Cara, vou dizer que me agrada muito mais esses seus textos opinativos do que os de tecnologia, parece que tu se esmera mais neles (até põe umas fotos mais maneiras.
    Quanto ao ECAD, um aviso ao navegantes, ele não é um órgão publico e nunca ganhou nenhuma ação judicial, muito pelo contrario, tem muitos artistas contra eles na justiça e não sao raras as vezes onde eles tem que ressarcir pessoas por cobranças indevidas, eles vão no "se colar colou".

  6. HeDC disse:

    Há algo acima desse direitinho autoral chamado CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, que torna NULA cláusulas abusivas e etc… Começem a dizer a esses covardões e afins que vai ao PROCON e etc… não vai deixar bobeira.

  7. Fábio Ricardo disse:

    Alguém sabe como eu tiro o SENZARI do facebook. Os caras colocaram intrometidamente um link de uma gostosa em meu facebook e eu como já conheço essas pegadinhas cliquei a janela de fechar e não adiantou nada, foi parar no sites deles. Depois disto meu facebook encheu de propaganda. Acho até um bom site, más deveriam achar uma maneira mais educada de capitar clientes.
    Espero que alguém responsável do SENZARI , esteja lendo isto, para que não seja necessário uma propaganda negativa dos senhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>