Galaxy-Nexus1

Desde o evento no qual a Google e a Samsung apresentaram ao mundo o Galaxy Nexus e o Android 4.0 (Ice Cream Sandwich), não apenas os sites especializados em Android como todos os veículos que tratam de tecnologia têm um desejo: colocar as mãos na novidade e emitir suas próprias impressões. A turnê do novo Android já começou, conquistando entusiastas na maior parte dos casos, em outros nem tanto, como podemos ver nas opiniões a seguir.

O Galaxy Nexus é o melhor celular com Android já feito. É um dos melhores smartphones já fabricados e com algumas pequenas melhorias, sobretudo na câmera, poderia facilmente ser o melhor smartphone já produzido em todos os tempos.

Não há muito o que discutir. O hardware é elegante e inteligentemente projetado. O software é bonito e de boa usabilidade. A Google eliminou vários problemas do sistema e introduziu nele grandes e numerosas melhorias. É mais rápido, mais esperto e mais amigável do que qualquer versão anterior. O Ice Cream Sandwich coloca facilmente o iOS e o Windows Phone sob pressão e, em muitos aspectos, é um sistema operacional superior a ambos

Josh Topolsky, The Verge

O aparelho é grande. É muito fino e leve, não parecendo muito volumoso por si. Por outro lado, me vejo fazendo contorcionismo com os dedos a usá-lo, deslizando o dedo mindinho por baixo do dispositivo quando quero tocar o botão “Voltar” na parte inferior do celular e devolvendo-o à sua posição quando preciso usar a busca, no topo da tela. Não consigo usar a interface sem ter de mover minha mão pelo aparelho. Felizmente, a grande tela do dispositivo se apresenta com uma vantagem. A tela mais espaçosa permite que aplicações com mais conteúdo e mais atalhos para suas funções possam caber na tela sem parecerem espremidas. Sobre os botões virtuais na parte inferior da tela que eu havia discutido antes, eles desaparecem por completo quando você está assistindo a um vídeo, de maneira que toda a superfície frontal do aparelho é transformada em tela. É realmente legal.

Jason Kincaid, TechCrunch

O Galaxy Nexus tem uma das mais incríveis telas já vistas. Os pixels são tão minúsculos ao ponto de serem microscópicos. O resultado é um texto nítido, um incrível ângulo de visão, uma cor preta reproduzida com perfeição e um brilho fantástico. Esse é o futuro das telas para dispositivos móveis e nós podemos dizer: “já era hora!”.

Para começar com as cores, vermelho, verde e azul estão equilibrados e não supersaturados como visto em telas Super AMOLED. Ou a Google fez alguma coisa com a temperatura das cores ou a Samsung conseguiu finalmente calibrá-las. Pela primeira vez podemos dizer que a precisão das cores encontra-se no mesmo patamar das telas Super LCD.

Daniel Bader, Mobile Syrup

Claro, em meio às avaliações positivas, há sempre quem torce o nariz.

De tempos em tempos surge um aparelho que muda a indústria de dispositivos móveis para sempre. Seja pelo design, pelas funções ou por uma combinação de ambos, esses raros modelos se sobressaem e dão ao mundo algo novo e muito diferente. O Samsung Galaxy Nexus não é um desses celulares. É certamente um lançamento de peso e deverá ganhar alguns aplausos. Como um ginasta num dia de azar, ele simplesmente largou a barra.

O Galaxy Nexus é inconfundivelmente um Android e, como tal, é poderoso e customizável ao extremo e oferece alguns recursos que um iPhone não pode sequer tangenciar. Sem dúvida, entusiastas da plataforma o verão dessa forma e irão se deliciar com cada porção do Ice Cream Sandwich. Sem o Ice Cream Sandwich, o aparelho é apenas mais um celular, mas com ele se torna um elegante e poderoso smartphone.

Kent German and Jessica Dolcourt, Cnet

Tive um probleminha com a leitura desse review do CNET, não pelo fato de ter dado destaque a pontos supostamente negativos do Galaxy Nexus, afinal não trabalho e nem admiro quem trabalha com postura de fanboy. Após ler o artigo, fui ver o que haviam escrito sobre o iPhone 4S e o texto também expõe uma noção meio “turva”. Essa confusão é causada pelo posicionamento de estar sempre esperando algo “revolucionário”.

Revoluções se fazem, são desejáveis, em circunstâncias muito peculiares. Na maior parte do tempo, o progresso linear, sem rupturas, é mais adequado e mais desejável. O que temos, hoje, para inserir de verdadeiramente revolucionário no design e na interface dos smartphones, alguma mudança que possa alterar o próprio conceito?

Eu não sei, você não sabe, ninguém sabe, mas há um clima de espera, como se todos aguardassem aquele monólito cair do céu rodando um novíssimo sistema operacional alienígena ou divino, conforme as preferências de crenças de cada um. Esse clima gera avaliações atordoadas tanto sobre o iPhone 4S e o iOS 5 quanto sobre Galaxy Nexus e o Android 4.0.

Continuemos…

Os três botões virtuais são como uma versão triplicada, e com isso mais versátil, do botão “home” da Apple. “Recent Apps” te leva a uma tela deslizante que exibe os aplicativos usados recentemente, enquanto os tradicionais botões “Back” e “Home”… Bem, você já entendeu.

O mais importante, a tela inicial (home) do ICS parece muito acertada. A interface está cheia de azul e metal e apresenta bonitos efeitos e animações. A maior parte do encanto seria perdido em uma tela de qualidade inferior, mas a tela Super AMOLED de 1280×720 do Galaxy Nexus apresenta a imagem nítida, limpa, de alta qualidade que faz com que entusiastas de dispositivos móveis desejem os produtos da Samsung.

Mike Isaac, Wired

Essas citações foram compiladas pelo pessoal do Android and Me e trazidas para cá para continuar a discussão sobre o avanço da plataforma e sobre a maneira como as mudanças são recebidas pelos usuários. A derrapada do review da CNET se dá justamente por razões já expostas aqui num artigo anterior.

Nem para o Android, nem para o iOS ou para qualquer plataforma mobile há indicativos, necessidade, ou caminho apontado para uma revolução. O que vemos hoje e ainda veremos por um tempo é o amadurecimento do conceito já estabelecido. O iPhone 4S sofre porque o entusiasta da Apple foi condicionado por um discurso marketeiro bobo a esperar sempre algo “revolucionário”.

Não apenas o Galaxy Nexus, mas toda a nova geração de dispositivos Android hi-end, com alto poder de processamento e aptos a receber o o Android 4.0 (Ice Cream Sandwich), representam uma evolução da plataforma que, além de se apresentar ainda mais interessante para a base de usuários atual, amadurece o sistema e se torna capaz de conquistar novos usuários.

Categorias: Smartphones Android / Tags , , .

4 respostas a Galaxy Nexus, com Android 4.0 (Ice Cream Sandwich), no centro das atenções

  1. Ainda não foi visto, ou pelo menos eu não vi, nada de ICS em tablets. Queria muito saber como vai ficar meu Xoom com ele.

    • Eduardo, mas o ICS deverá aparecer para os tablets com Honeycomb, sim. Pelo menos o Xoom até agora tem sido adotado como o Nexus dos tablets e recebido sempre os updates, então ele deverá ser atualizado.
      O usuário do Xoom é o único que ainda dá um voto de confiança na Motorola em relação a esse assunto de updates. É bom que ela não se queime justo com esses.

  2. Pingback: Verizon veta Google Wallet no Galaxy Nexus e reabre discussão sobre o Android como um sistema aberto

  3. Pingback: Galaxy X será o nome do Galaxy Nexus no Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>